16 de abr de 2007

A LIBERDADE DE NÃO IR E NÃO VIR

SE EXISTE UMA SEARA A EXIGIR DO HOMEM IGUALMENTE CAUTELA E OUSADIA, ESTA CHAMA-SE LIBERDADE. NAS PALAVRAS DE SARTRE O HOMEM ESTÁ CONDENADO À EXERCER A SUA LIBERDADE PARA O BEM E PARA O MAL.
ESCOLHO A LUZ, FURTO-ME A SOMBRA. ESCOLHO O DOCE, PERCO O SALGADO. E POR AÍ VAI.

PARECE-ME QUE SER LIVRE É SABER DISCRIMINAR OS LIMITES ENTRE "EU QUERO" E "EU NÃO QUERO", MAS GUIAR-SE POR UM CRITÉRIO IDEAL QUE NÃO PERMITA CONSTRANGIMENTOS. NADA QUE ME FORCE, OU AGRIDA; ME PRESSIONE, ME INDUZA, SEQUER ME SUGIRA CAMINHOS QUE EU NÃO QUEIRA TRILHAR. SE MEU DESEJO É FICAR, SOU LIVRE PARA NÃO IR.

TUDO O QUE PRECISO PARA SER LIVRE É MANIFESTAR MINHA SOBERANA VONTADE.TODAVIA, FEITA A MINHA ESCOLHA, PAGO POR ELA. NESTE MOMENTO A RESPONSABILIDADE ME PISCA OLHOS DE BRILHANTE SENSATEZ.

SE AS MINHAS ESCOLHAS SERÃO BOAS OU MÁS ... AÍ JÁ É OUTRA HISTÓRIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário